Se vier uma determinação para reassumir, evidentemente que vamos reassumir, diz Botelho

Com o voto do ministro Gilmar Mendes para que Eduardo Botelho(DEM) reassuma a presidência da AL por conta de uma ADI, o atual primeiro secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) afirmou que vai fazer valer caso o Supremo Tribunal Federal (STF) decida por permitir sua recondução à Presidência do parlamento, ele quer. “Se vier uma determinação para reassumir, evidentemente que vamos reassumir”, afirmou Botelho na manhã desta segunda-feira (20).

Botelho teve que abrir mão após comandar a AL de 2017 a 2019, na legislatura anterior, e de 2019 a 2021 na atual gestão. Foi eleito para a terceira gestão, mas por decisão do STF em fevereiro deste ano determinou uma nova eleição, destacando que é proibida a recondução dos membros da mesa diretora ao mesmo cargo. Essa eleição colocou Max Russi (PSB) como atual presidente.

Só que desde o dia 17 de setembro, o STF iniciou o julgamento sobre essa decisão liminar que determinou a nova eleição para a ALMT. Na sessão virtual, o ministro Gilmar Mendes apresentou voto no sentido de restabelecer a eficácia da eleição realizada em junho de 2020.

O ministro do STF avaliou que, no seu entendimento, a decisão que proibiu a recondução dos membros da Mesa Diretora ao mesmo cargo deve valer a partir da publicação do acórdão dessa decisão, que foi feito em abril de 2021, e, portanto, depois da eleição da ALMT.

“Quando fizeram [a decisão], eu cumpri. Cumpri na risca o que fizeram, sem titubear. Pra mim, qualquer resultado que for será bom. Se for para a continuidade do que está aí, o Max está ótimo lá, e se for para minha volta, também. Eu até não acredito que vá ter recondução, todavia, se tiver, vamos reassumir”, afirmou Botelho.


foto reprodução