Associados fazem pressão para renúncia de Galvan na Aprosoja Brasil

 

A crise politica entrou porta adentro do agronegócio e faz morada em uma das instituições mais fortes do setor, a Aprosoja. Tudo pela postura contundente do ruralista Antônio Galvan, presidente da Aprosoja Brasil, bolsonarista de carteirinha, produtor em Simop e ex-presidente da Aprosoja/MT. Há um movimento dentro da entidade para Galvan renunciar a presidência. Mas ele resiste.

Sob investigação, por supostamente apoiar atos antidemocráticos, sendo, inclusive, alvo de busca e apreensão, Galvan expôs tanto a entidade com sede em Brasília e sob seu comando quanto a Aprosoja/MT.

Por causa da suspeita de financiar atos pró-Bolsonaro, a Aprosoja, com cerca de sete mil associados no Estado, teve as contas bloqueadas e segue sendo rastreada pela Justiça.

Produtores entendem que Galvan já arrumou confusão demais, inclusive tem sido questionado por ter feito, enquanto dirigente da Aprosoja/MT, contrato advocatício milionário com a hoje esposa e advogada Paula Boaventura.

 

FOTO: DIVULGAÇÃO