CBF decide liberar público em estádios com restrições

O público poderá voltar aos estádios brasileiros seguindo um protocolo oficial publicado ontem(13), pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Mato Grosso já havia liberado.

A CBF anunciou que um Protocolo de Recomendações para Retorno do Público aos Estádios deve ser seguido para as quartas de final da Copa do Brasil, além das séries A, B e C do Campeonato Brasileiro.

Entretanto, para que a presença de público se consolide, o guia destaca que a decisão final dependerá da anuência das autoridades sanitárias locais.

Consta no documento que para o público ter acesos aos estádios, os torcedores terão que fazer um teste RT-PCR para detecção do vírus SARS-CoV-2 até três dias antes da data da partida. Como alternativa, também será aceito o teste ‘Pesquisa de Antígenos’, se realizado em até dois dias antes da partida. Neste caso, o teste obrigatoriamente precisa ter sido realizado em um laboratório de análises clínicas ou unidades de prestação de serviços de saúde devidamente autorizados pelas autoridades sanitárias.

Outra possibilidade é ter tomado as 2 doses e dado o tempo de 15 dias após. Aqui, segundo a CBF, não será necessária a realização de testes dias antes dos jogos. O entendimento da CBF sobre o termo ‘plenamente vacinado’ é o torcedor ter sido imunizado com duas doses ou ter tomado a dose única da vacina contra a Covid-19.

Alguns pré-requisitos obrigatórios foram determinados para entrada e permanência nos estádios:

Aferição de temperatura corporal;
Uso obrigatório de máscaras de proteção facial autorizadas pela ANVISA nos ambientes internos do estádio durante todo o período de permanência;
Obrigatória a manutenção do distanciamento social nos assentos e setores do estádio durante todo o período de permanência;
Higienização das mãos com álcool a 70% ou lavagem com água e sabão.
Como será definida a quantidade de público?

O critério utilizado para calcular a quantidade de público que os estádios poderão receber nestas partidas é chamado de taxa de normalidade. O cálculo leva em consideração seis pontos:

Taxa de incidência (casos novos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias)
Tendência da taxa de casos novos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias
Mortalidade por Covid-19 por 1 milhão de habitantes nos últimos 14 dias
Tendência da taxa de mortalidade por 1 milhão de habitantes nos últimos 14 dias
Letalidade de Covid-19 (global)
Percentual da população plenamente vacinada contra SARS-CoV-2
Através de uma pontuação definida pela CBF, com base nos números destes pontos, é feito um cálculo da taxa de normalidade para determinar o limite de público recomendado para cada estádio.

Por exemplo: se o cálculo oferecer um resultado menor que 30%, a taxa de normalidade será baixa e estará liberado até 10% da capacidade de público. Se a taxa de normalidade for de 75% ou mais, a taxa de normalidade será considerada ideal e está permitido um percentual de público acima de 50% da capacidade do estádio.

Nas competições com fases eliminatórias, para equilíbrio dos confrontos e condições, a CBF definiu dois modelos:

Em partidas ida e volta (mata-mata), será permitida a diferença máxima de 15% das respectivas capacidades, prevalecendo a condição liberada do estádio com menor quantitativo. Exemplo: Um Clube A tem permissão pela autoridade sanitária local para receber público máximo de 20% do estádio, enquanto o Clube B, de outro estado, tem permissão pela autoridade sanitária local para receber público máximo de 70% do estádio. No caso de confronto entre as equipes em formato eliminatório ida e volta, o Clube A poderá receber 20% da capacidade do estádio e Clube B um máximo de 35%;
No caso de um dos clubes envolvidos não ter autorização pelo órgão sanitário local para receber público no estádio, ambas as partidas não terão público. Exemplo: Um Clube A tem permissão pela autoridade sanitária local para receber público máximo de 20% do estádio, enquanto um Clube B, de outro estado, não tem permissão pela autoridade sanitária local para receber público (0% do estádio). No caso de confronto entre as equipes em formato eliminatório ida e volta, nem Clube A nem Clube B poderão receber público nos seus respectivos estádios.

Venda de ingressos
No documento, a CBF garante que disponibilizará um sistema virtual para consultas a respeito de vacinas, testes RT-PCR e antígeno, a fim de que os clubes ou as empresas por eles contratadas possam verificar a veracidade das informações de vacinação plena ou testagem prestadas pelos torcedores.

 

FOTO ASSESSORIA