89 leitos de UTI são desabilitados em MT

O Ministério da Saúde desabilitou 89 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento de pacientes com Covid-19 (novo coronavírus) em Mato Grosso.

Além da desabilitação, o Ministério da Saúde  determinou a devolução de R$ 12,8 milhões que foram disponibilizados ao Estado e quatro Municípios para o custeio desses leitos.

Segundo a Portaria n°. 1.554 publicada no Diário Oficial da União que circulou nesta quinta-feira (18), diz que  foram desabilitados 60 leitos do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), sendo 50 UTI para adulto e 10 pediátrico para pacientes covid. O Município terá que devolver à União R$ 8,2 milhões.

Também foram desabilitados leitos em Rondonópolis, Várzea Grande, Tangará da Serra - gestão municipal - e Sorriso, sob gestão do Estado. 

 

NOTA DA PREFEITURA

Sobre o pedido de desabilitação de leitos de UTI, a Secretaria Municipal de Saúde esclarece:

-O pedido foi para a desabilitação dos leitos de UTI para COVID-19 do Hospital Municipal de Cuiabá. Importante ressaltar que estes 60 leitos continuam sendo utilizados no HMC como leitos de UTI para outras enfermidades;

-O que ocorreu foi que, ao consultar a equipe técnica de enfrentamento ao Covid -19, o prefeito Emanuel Pinheiro concluiu que, nesse momento da pandemia é mais prudente deixar o HMC apenas para o atendimento às demais enfermidades. Fato que inclusive tem desafogado todo o fluxo de atendimento do estado, onde apenas no último trimestre realizou mais de 6.300 atendimentos de urgência e emergência, 2098 cirurgias de média e alta complexidade e teve as UTIs com 100% de ocupação;

-Cuiabá continua com os 55 leitos de UTI do Hospital Referência, 40 do São Benedito;

-Além disso estão sendo criados mais 30 leitos de UTI no Hospital Referência, com a doação dos 20 respiradores que o deputado Emanuel Pinheiro Neto conseguiu com o Ministério da Saúde e os outros 10 respiradores que o Governo de Mato Grosso doou para a Prefeitura de Cuiabá. Com isso chegaremos a 125 leitos de UTI na capital, exclusivos para COVID-19;

-O secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho explica que o recurso para esses 60 leitos está na conta da Secretaria, aguardando o Ministério da Saúde informar como essa devolução será realizada: se o recurso será devolvido com abatimento do Teto da Média e Alta Complexidade – MAC ou se irá abater do próximo repasse para as UTIs.

 

NOTA GOVERNO

Os seis leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Sorriso para o tratamento de pacientes com Covid-19, que foram desabilitados pelo Ministério da Saúde, por meio da Portaria nº 1.554, já haviam sido remanejados pela Secretaria de Estado de Saúde para o Hospital Regional de Sinop.

O remanejamento foi necessário em decorrência das obras na unidade de Sorriso, que passa por ampliação e modernização. No hospital, continuam ativos 20 leitos de enfermaria e 2 de UTI para pacientes com Covid-19.